"CANDIDÍASE PENIANA"


A candidíase no homem é comum, apesar de alguns não apresentarem sintomas e frequentemente é causada pelo fungo "cândida albicans". Quando o crescimento do fungo é exageradamente grande, o homem então apresenta inflamações que acometem a glande (extremidade ou “cabeça” do pênis) e a mucosa do prepúcio (pele que recobre a glande) e se apresentam como pontilhados avermelhados que coçam bastante. Outros sintomas são: dor durante a relação sexual; sensação de queimação ao urinar; leve inchaço;  eventual corrimento semelhante ao sêmem.

As pessoas diabéticas e as que têm o prepúcio alongado são as mais acometidas. Não é uma doença obrigatoriamente transmitida pelo sexo e,  alergias a alimentos e agentes químicos também podem desencadear a candidíase em homens. Na eventualidade de repetições freqüentes, torna-se muitas vezes necessário o tratamento cirúrgico visando à remoção da área de mucosa que se acha limitada na sua capacidade de defesa local. Ao ser diagnosticado com candidíase peniana, o homem deve abster-se do sexo até que a crise tenha passado.

"Qualquer suspeita não faça auto medicação e procure orientação médica para o diagnóstico e tratamento corretos".

Fonte: 
Sociedade Brasileira de Urologia

6 comentários:

Anônimo disse...

Alexandre, parabéns pelo site! Gostaria de saber se a candidíase peniana pode ser sintoma da infecção aguda pelo hiv? Desde já agradeço.

Alexandre disse...

Anônimo, vou lhe pedir um favor: Leia com bastante atenção a matéria acima que foi criada pela Sociedade Brasileira de Urologia, na qual a sua pergunta está respondida pois estão bem claras as causas da candidíase peniana.

Anônimo disse...

Entendi a matéria Alexandre. Entretanto, encontrei informação na internet de que a candidíase oral e vaginal, em raros casos, pode ser sintoma da infecção aguda pelo HIV. Sei que a candidíase nem sempre está associada a DST e também sei que vc não é médico ou cientista. Mesmo assim, leio suas informções e acho o conteúdo excelente, além de suas experiências pessoais. Portanto, resolvi lhe consultar para saber se vc possuía mais informações para me fornecer. Obrigado pela atenção e continue com este trabalho que acalenta a vida de várias pessoas. Novamente, meus parabéns pela sua iniciativa e perseverança!

Alexandre disse...

Anônimo, o que todos nós precisamos entender definitivamente, é que SINTOMAS não comprovam que uma pessoa foi contaminada pelo HIV, até porque os sintomas são comuns em DIVERSAS enfermidades E SOMENTE O TESTE ESPECÍFICO DE HIV É CAPAZ DE DIAGNOSTICAR CORRETAMENTE SE A PESSOA É OU NÃO PORTADORA DO VÍRUS.
E como eu sempre repito, a internet é uma fonte de "INFORMAÇÃO GENERALIZADA APENAS", e como a imensa maioria de nós é LEIGA, as "INTERPRETAÇÕES" ao que está escrito são errôneas, portanto o correto é procurar um(a) especialista PESSOALMENTE para ter as respostas concretas e corretas sobre a sua saúde INDIVIDUAL!

Anônimo disse...

Um tempo atrás comecei a sentir muita coceira no pênis e logo depois surgiu uma vermelhidão, um pouco de inchaço e apareceu uma massinha tipo sebo, procurei um urologista e na análise visual dele tratava-se de fungos. Receitou uma pomada chamada Candicort e o comprimido Fluconazol 150ml para fazer tratamento por 7 e 14 dias. Fiz o tratamento e os sintomas melhoraram, mas uma semana após o fim do tratamento os sintomas retornaram. Voltei ao médico e ele pediu para repetir o tratamento, sendo que ocorreu a mesma coisa, os sintomas voltaram.
Continuei utilizando apenas a pomada e percebi que meu pênis estava diferente, mais embranquecido e após as relações sexuais sentia uma forte ardência como estivesse ferido.
Decidir procurar outro urologista e expliquei toda a história, ele passou a pomada Baycuten-N e o comprimido Miconal 100mg para usar 7 e 4 dias, entretanto fez um alerta, este tipo de fungos sempre volta, a única solução seria a retirada total da pele que cobria a glande do pênis com a cirurgia chamada de postectomia radical. Falei a ele que eu já tinha feito esta cirurgia quando criança, mas ele explicou que desta vez seria retirada toda a pele que cobria a glande do pênis e que ele ficaria aberto o tempo inteiro evitando a umidade e o surgimento de fungos.
Utilizei o medicamento que ele receitou por um período, mas parava de usar os sintomas voltavam. Então resolvi retornar para o médico, ele insistiu dizendo que a solução definitiva seria a cirurgia e que outros tipos de tratamento não resolveria totalmente o problema.
Cheguei a marcar a data da cirurgia, mas fiquei com medo de como ficaria a aparência do meu pênis, então resolvi procurar outro urologista para escutar outra opinião, na consulta ele examinou o pênis e falou que a primeira cirurgia que eu já tinha feito era para ter sido retirado toda a pele, mas que para resolver o problema com os fungos era para eu seguir tais recomendações:

Durante 15 dias ficar 24 horas com gases amarrada na glande do pênis, impedindo que a pele fechasse;
Durante estes 15 dias poderia usar qualquer uma das pomadas que os outros médicos já haviam receitados;
Usar apenas sabonete neutro;
Mesmo depois dos 15 dias, após urinar deixasse o pênis por um período aberto;
Lavar e secar sempre o pênis várias vezes ao dia;
Não ficar muito tempo com roupa molhada;
Evitar excesso de açúcar;
Após as relações sexuais ou masturbação, sempre lavar o pênis;
Usar camisinha.

Já fazem 6 meses que que comecei a seguir estas orientações, mas não sentir mais a coceira e nem a vermelhidão, apenas o inchaço que as vezes aparece. Como os sintomas quase sumiram, desistir de fazer a cirurgia.

Então, este é o meu relato do meu problema com fungos no pênis e como conseguir acabar com os sintomas.

Alexandre disse...

Obrigado pela sua colaboração.