"RELATÓRIO 2011 SOBRE A EPIDEMIA MUNDIAL DE HIV/AIDS"


UNAIDS - 03/06/2011 

• Apesar dos avanços, cerca de 36.000.000 de pessoas vivem com o HIV e cerca de 30.000.000 morreram em decorrência da doença (Aids) nos últimos 30 anos, desde o primeiro caso relatado em 05 de junho de 1981.

 7.000 pessoas são infectadas pelo HIV todos os dias no mundo, ao mesmo tempo que metade (50%) das 34.000.000 de pessoas com o HIV, não sabem que são portadoras do vírus.

 2.500 jovens, no mundo todo, são contaminados pelo HIV todos os dias.

 Jovens de 15-24 anos representaram 41% das novas infecções. Na faixa etária dos 10-19 anos, cerca de 2.000.000 de adolescentes estão vivendo, hoje, com o HIV.

 No mundo, as mulheres jovens representam mais de 60% de todos os jovens que vivem com HIV e na África, essa a taxa salta para 72%.

• Um número recorde de 1.400.000 de pessoas tiveram suas vidas salvas pelo acesso ao tratamento em 2010, mais do que qualquer ano anterior. 420.000 crianças estavam recebendo a terapia antirretroviral no final deste mesmo ano. Um aumento de mais de 50% desde 2008, quando 275.000 crianças estavam em tratamento.

 O acesso ao tratamento pode transformar a luta contra o HIV/AIDS na próxima década. A terapia antirretroviral, não só impede a morte das pessoas, como também evita a transmissão do HIV para mulheres, homens e crianças. O estudo HPTN052 descobriu que: Se uma pessoa vivendo com HIV adere a terapia eficaz  com os antirretrovirais, o risco de transmitir o vírus aos seus parceiros sexuais pode ser reduzido em até 96%.

 A redução global na taxa de novas infecções foram registradas na África sub-Saariana e no Sudeste da Ásia, enquanto na América Latina e no Caribe as reduções foram mais modestas, menos de 25%. Houve um aumento na taxa de novas infecções pelo HIV na Europa Oriental, no Oriente Médio e Norte da África.

 Nos últimos anos, tem havido progressos significativos na prevenção de novas infecções pelo HIV entre as crianças. Como um número crescente de mulheres soropositivas grávidas, têm tido acesso à profilaxia antirretroviral durante a gravidez, parto e amamentação, o número de crianças infectadas com o HIV em 2009 foi 26% menor que em 2001.

 Cerca de 115 países de baixa e média renda estão fornecendo esquemas de tratamento ideal para as mulheres grávidas que vivem com o HIV, como recomendado pela Organização Mundial de Saúde. Mas ainda existem 31 países que não fornecem os esquemas ideais recomendado pela Organização.

 Apesar do amplo acesso à terapia antirretroviral, uma grande lacuna permanece no tratamento. No final de 2010, 9.000.000 de pessoas não tiveram acesso ao tratamento. O acesso para crianças é menor do que para adultos, e apenas 28% das crianças estavam recebendo a terapia em 2009, em comparação com 36% das pessoas de outras idades que a recebiam.

 As desigualdades de gênero continuam a ser um importante obstáculo para uma resposta eficaz contra o HIV. As complicações da infecção, são as principais causas de morte entre mulheres em idade reprodutiva, e mais de um quarto (26%) de todas as novas infecções pelo HIV, no mundo, estão entre as jovens de 15-24 anos de idade.

 Os investimentos na resposta ao HIV em países de baixa e média renda aumentaram quase 10 vezes entre 2001 e 2009. No entanto, em 2010, os recursos internacionais para o HIV diminuiram. Muitos países de baixa renda, estão ainda muito dependentes do financiamento externo. Em 56 países, os doadores internacionais representam pelo menos 70% desses recursos.

 Uma proposta feita pela UNAIDS e parceiros em 2011, sugere que um investimento de pelo menos, 22 milhões dólares é necessário até o ano de 2015,  6 milhões a mais do que está disponível hoje. Com esses investimentos direcionados para um conjunto de programas prioritários, estima-se que seriam evitadas 12.000.000 de novas infecções pelo HIV e, 7.400.000 de mortes relacionadas à Aids também seriam evitadas até o ano de 2020. O número de novas infecções cairia de 2.500.000 em 2009 para cerca de 1.000.000 em 2015.

 O balanço global está muito abaixo da meta de "acesso universal" que as Nações Unidas estipularam em 2010. Este prazo passou, e ocasionou mais 9.000.000 de pessoas infectadas que continuam necessitando de tratamento. Alcançar essa "meta" e fazer frente a muitos outros problemas relacionados com a Aids requer um grande impulso de financiamento, afirmou a Unaids. Os recursos necessários para sustentar os avanços foram reduzidos pela primeira vez em 10 anos, mesmo com as enormes necessidades existentes.

Nenhum comentário: