"Empresário suíço lucra mais de 1 milhão de euros revendendo na europa, medicamentos contra AIDS destinados a pessoas pobres no Sudeste da África"


Um empresário suíço, agora com 70 anos, lucrou abusando de um sistema designado a ajudar portadores do vírus HIV em países subdesenvolvidos. Essas pessoas teriam acesso à terapia retroviral por preços acessíveis, a partir de uma ação da ONU (Organização das Nações Unidas), também chamada de iniciativa acelerada de acesso, que obrigou as companhias farmacêuticas a vender medicamentos usados na terapia retroviral por um preço justo para pessoas de baixa renda.

No entanto, o empresário de Zurich, chamado de M.K. pela revista suíça Beobachter, viu uma forma de lucrar em cima da idéia: "Fingindo ser um dos farmacêuticos do acordo, M.K. foi para a África do Sul e adquiriu os medicamentos por um preço muito baixo, e os importou à Europa antes mesmo de começarem a ser vendido em países do primeiro mundo. Para garantir que a medicação supriria as necessidades do mercado alemão, a embalagem foi traduzida para o idioma local, na tentativa de evitar a descoberta da fraude".

"Os pagamentos eram feitos via três empresas no Panamá, e toda a quantia adquirida voltava às mãos de M.K. Estima-se que o empresário lucrou mais de 1 milhão de euros apenas com a fraude no esquema".

No entanto, tudo veio à tona quando um cliente, na Alemanha, reclamou que o medicamento que ele havia adquirido tinha sido adulterado e que faltavam algumas pílulas na embalagem. "A partir dai casos semelhantes foram então revelados".

Uma investigação promovida pela agência de farmacêuticos da Suíça, Sweissmedic, descobriu que M.K havia lucrado absurdamente com a corrupção no esquema de saúde. Apesar das alegações do empresário, que alegou inocência, ele será obrigado a pagar uma multa de pelo menos 7,2 euros (8 mil francos suíços) e os custos judiciais.

FONTES: THE LOCAL - AFP - R7

Nenhum comentário :

Postar um comentário