Eu conheci o sentido da VIDA!

(Eu e minha mãe)

Estava no meu aconchego, flutuando, acariciando as gengivas com meu dedinho mais suculento, de vez em quando dando uns chutinhos, só para receber mimos, daquela que me acolhia tão carinhosamente e sempre dizia palavras de ternura.

Subitamente sentí algo puxando meus pezinhos, pensei ser mais um sonho, porém, os puxões tornaram-se mais fortes e insistentes. Briguei, esperneei, mas não teve jeito, foi inútil meu esfôrço e aquela força incontrolável só se conteve, quando tirou-me definitivamente do meu refúgio.

Meus olhos encheram-se de lágrimas, tal a intensidade da luz e quando pude visualizar melhor, estava diante de algo assustador, branco com manchas rubras, mascarado e gritando...é menino, é menino...fiquei paralisado de pavor, perdi o fôlego e aquela figura, finalizou seu ato, com uma palmada na minha recèm nascida bundinha.

Indignado e já demonstrando ser casca grossa e osso duro de roer, abri o maior berreiro. Só parei quando meus olhos avistaram aquela mulher, linda, feliz, sorridente, que eu sabia exatamente quem era, pois fiquei meses no seu ventre, ouvindo suas doces palavras de amor e seus gestos de carinho.

Foi amor a primeira vista e incondicional, por este anjo que me deu a luz e que dia após dia, mostrou-me os caminhos, ensinou-me a respeitar o semelhante, fortaleceu-me nas privações, apoiou-me nas dificuldades, abraçou-me, chorou e sorriu nos meus fracassos, vitórias e provou que o amor é perfeito, existe e é real!

Por mais que digamos que somos imperfeitos, vale uma reflexão e uma exceção, pois este ser, chamado mãe, até em suas letras é incomparável.

A letra M, é de mulher, amorosa, guerreira e que jamais nos julga, condena ou abandona!
A letra A, é de anjo, protetor e capaz de dar a sua vida por nós!
E a letra E, é de eterna, como a amor incondicional que nos oferece!

Seja pobre ou rica, seja instruída ou não, nada nem ninguém é mais sábio que nossas mães, e tenham a certeza absoluta, que tudo o que sentem e falam é sempre desejando o nosso bem e felicidade. Às mães, foi concedido o dom inigualável de conceber a vida e o que elas pedem à seus filhos, é somente que as amem da mesma forma que nos amam.

Aqueles que tem a gratidão de retribuir este sentimento, no dia da sua partida ficarão tristes, porém seus corações sentirão eternamente sua presença. A saudade não será sofrida e amargurada, mas repleta de doces recordações, trazidas pela visão daquele rosto, lindo, suave, sereno e sábio que sempre estará presente, pois o amor materno é incondicional e jamais deixa de existir!

Posso parecer pretensioso mas não tenho dúvidas em afirmar que conheci o sentido da vida, e que este não pode ser explicado com palavras que o vento leva, mas sim com o sentir que nasce na alma e reside eternamente no coração de quem teve o privilégio de simplesmente receber, retribuir, o único e verdadeiro amor.

Mãe
Eu te amo 24 horas de todos os dias que vivemos juntos!

Nenhum comentário :

Postar um comentário