"Ministério da Saúde da França anuncia que fornecerá tratamento para todas as pessoas diagnosticadas com HEPATITE C"

(Foto: Josep Lago/AFP )

"A Ministra da Saúde da França, Marisol Touraine anunciou na semana passada que o país fornecerá acesso universal com antivirais de ação direta, para todas as pessoas diagnosticadas com Hepatite C a partir de setembro/2016".

Será também fornecido imediatamente o tratamento: "Para todos os que tem fibrose de Fase 2; Para qualquer pessoa com hepatite C à espera de um transplante de fígado ou que experimente uma recorrência da infecção por hepatite C após um transplante de fígado, independentemente do estágio de fibrose pós-transplante, e para grupos de alto risco para a transmissão de Hepatite C (prisioneiros, migrantes, mulheres grávidas e pessoas que injetam drogas)".

A Sociedade Francesa de Hepatologia criticou "a falta de acesso imediato para as pessoas que adquiriram a hepatite C através da transfusão ou produtos sanguíneos contaminados antes da introdução da triagem em 1992". Até agora, o tratamento para a hepatite C utilizando antivirais de ação direta tem sido restrito a pessoas com fibrose F3 (lesão hepática avançada) ou fibrose F4 (cirrose).

"Cerca de 30.000 pessoas na França receberam tratamento com combinações livre de interferon, dos quais cerca de 90% foram curadas da hepatite C".

A orientação sobre como fornecer tratamento para pessoas com estágios F0 e F1 fibrose será elaborada pela autoridade nacional francesa para a saúde (Alta Autoridade de Saúde, Haute Autorité de Santé, ou HAS) em setembro de 2016. "Até 230.000 pessoas com hepatite C na França poderão ser tratadas para hepatite C, sob as novas regras", disse o Ministério da Saúde francês, mas Marisol Touraine expressou que os preços pagos pelo sistema de saúde francês para os antivirais de ação direta devem ser renegociados. "O custo atual do tratamento é de cerca de 41.000 euros", e o orçamento para o tratamento da hepatite C foi limitado a 700 milhões de euros, sendo que a Gilead estaria obrigada a pagar uma bonificação não especificada sobre o custo de sofosbuvir se a despesa subir acima deste nível.

As disposições financeiras que permitirão o acesso universal ainda não estão claras. O anúncio vem à frente de qualquer acordo firme sobre o anúncio de redução. O preço no acesso universal pressionará as empresas com produtos já licenciados a fazer acordos com o governo antes da aprovação da comercialização europeia do Zepatier da Merck ainda este ano. "Chegou o momento em que a França deve renegociar o preço", disse Marisol Touraine, em comunicado de imprensa. Ela salientou que a extensão das indicações acerca da prescrição de drogas foi expandida, aumentando o tamanho do mercado, e os produtos concorrentes estão se tornando disponíveis. "É tempo de que o sentido de responsabilidade prevaleça. Em seu próprio interesse, os laboratórios devem jogar o jogo". O Comité Économique des Produits de Santé (CEPS) agora prosseguirá uma renegociação de preços, tendo em conta os recentes acordos de preços em outros países.

A Ministra da Saúde francesa observou que outros países europeus puderam utilizar as negociações francesas de preços para alcançar acordos favoráveis para a prescrição de alto volume. Na Espanha e Portugal parece que preços de 13.000 euros foram alcançados em negociações confidenciais. "Neste caso, os governos não pagam nada para pacientes que não são curados e o custo do tratamento é o mesmo, independentemente da duração". O financiamento também será disponibilizado para auxiliar as associações e organizações de voluntários que prestam serviço de teste rápido para a hepatite C.

Nenhum comentário :

Postar um comentário