"Simpósio em Porto Alegre/RS discute aplicação de PMMA para corrigir efeitos da lipodistrofia em pessoas que vivem com HIV/Aids"


A aplicação do polimetilmetacrilato (PMMA) "para corrigir os efeitos da lipodistrofia em pacientes com HIV/Aids" será tema de uma das mesas do 1º Simpósio Consenso Brasileiro de Implantes Infiltrativos. O evento acontece em Porto Alegre (RS) neste sábado (20/08) e terá a presença dos principais especialistas da área no Brasil e no mundo, entre eles, o médico alemão Gottfried Lemperle.

"A lipodistrofia é a redução ou o aumento da gordura no corpo e no rosto de pessoa que vivem com HIV/Aids, provocados pelos efeitos de antirretrovirais ou pelo próprio vírus HIV. A pré-disposição genética e o estilo de vida também interferem no desenvolvimento da síndrome e, além de preenchimento com PMMA, o exercício físico é indicado para combatê-la".

Desde 2004, uma portaria do Ministério da Saúde (nº 2.582, de 02/12/2004) prevê a realização de procedimentos de reparação para o tratamento da lipodistrofia em portadores do HIV pelo SUS (Sistema Único de Saúde). "Na capital gaúcha, os implantes infiltrativos, usados para preencher os vincos causados pela perda de gordura, para esses pacientes, são realizados desde 2008 no Hospital Nossa Senhora da Conceição".

"Realizamos seis procedimentos por semana. Nestes oito anos, já foram mais de dois mil. Além de uma taxa de sucesso de quase 100%, o principal resultado é o resgate da autoestima e a retomada da vida social, assim como uma melhor aceitação do  tratamento", afirma o médico Luciano Soares, responsável pelo setor de lipodistrofia do Serviço de Infectologia do hospital.

"Sobre o simpósio"

O 1º Simpósio Consenso Brasileiro de Implantes Infiltrativos está sendo realizado no The Place (Tobias da Silva, 120), das 8 às 18 horas, e reunirá médicos especialistas de todo o país para discutirem as melhores condutas para utilização do PMMA em procedimentos estéticos e de reparação. Está confirmada a presença da principal autoridade internacional no assunto, o médico alemão Gottfried Lemperle.

A iniciativa é coordenada pelo médico Túlio Souza, que liderou uma pesquisa sobre implantes infiltrativos no Brasil. "Os resultados serão apresentados e discutidos no simpósio, que pretende criar um padrão nacional para implantes infiltrativos. O objetivo é estabelecer parâmetros  que determinem uma utilização eficaz e segura desse tipo de material a fim de alcançar os melhores resultados na eficácia do procedimento e na segurança do paciente".


"O Polimetilmetacrilato (PMMA)"

O Polimetilmetacrilato (PMMA) é utilizado na medicina há mais de 75 anos. Sua aplicação vai desde próteses ortopédicas e revestimento de marcapassos cardíacos até lentes intraoculares. Como produto injetável, o primeiro uso para o aumento de tecidos foi realizado em 1989 pelo cirurgião plástico Gottfried Lemperle, na Alemanha.

O emprego do PMMA é seguro, eficaz e duradouro para reposição do volume facial e corporal por ser biocompatível (aceito pelo corpo) e não absorvível. Na aplicação estética, tornou-se, em 2006, o primeiro e único implante definitivo aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration), órgão que regulamenta remédios nos Estados Unidos. No Peru e na Colômbia, é utilizado em larga escala e se mostra como uma opção mais segura frente às cirurgias que necessitam de anestesia geral e peridural.

"No Brasil, o material é utilizado há mais de 20 anos. Desde 2007, a produção ficou restrita a indústrias, que seguem o rigoroso controle da Agência Nacional de Vigilância Sanitária em sua fabricação. Com a regulamentação da Anvisa, o país tornou-se pioneiro na utilização do PMMA em pacientes com HIV".

Nenhum comentário :

Postar um comentário