"São Paulo lança guia de prevenção combinada à AIDS e IST(DST)"

(Clique na imagem para ampliá-la)

Estudos indicam alta prevalência da infecção pelo HIV em populações vulneráveis. Desde 2008, a epidemia tem crescido entre homens que fazem sexo com homens (HSH). A proporção da categoria de exposição HSH aumentou de 30,3% em 2007 para 44,8% em 2014, percentual semelhante ao final da década de 1980. Diante deste contexto, técnicos da Coordenação Estadual DST/Aids-SP elaboraram um guia sobre Prevenção Combinada para orientar profissionais de saúde que trabalham no campo das IST(DST)/Aids.

Desde o início da epidemia de Aids a promoção do uso do preservativo tem sido a principal estratégia empregada para a prevenção da infecção pelo HIV no Brasil. Esse cenário vem se modificando ao longo do tempo na medida em que outras estratégias comportamentais e tecnologias biomédicas de prevenção começam a se mostrar efetivas e disponíveis para a população, explica Artur Kalichman, coordenador adjunto do Programa Estadual DST/Aids-SP.

"Ainda que a promoção do uso do preservativo continue sendo a principal estratégia de prevenção ela não pode ser mais a única.  Entende-se por Prevenção Combinada um conjunto de medidas e estratégias que ajudam as pessoas a se prevenir da infecção pelo HIV: Testagem, camisinha, Profilaxia pré exposição, Profilaxia pós exposição, tratamento como prevenção, práticas de menos risco fazem parte das estratégias da prevenção combinada".

Para Maria Clara Gianna, coordenadora do Programa Estadual DT/Aids-SP, a Prevenção Combinada deve ser vista sob três aspectos:

1- Como uma combinação de diferentes estratégias comportamentais e/ou biomédicas de prevenção  em diferentes momentos da vida de uma pessoa;

2- Como uma estratégia de prevenção que deve ser combinada com a pessoa que  irá utilizá-la, a partir da sua realidade e dentro das suas possibilidades, num processo de aconselhamento dialogado e não prescritivo

3- Como uma estratégia orientada pelo respeito aos direitos humanos e a autonomia das pessoas, e por políticas públicas que garantam acolhimento, informação e acesso aos serviços de saúde e aos insumos de prevenção, principalmente para as pessoas mais vulneráveis.

Da mesma forma que combinar diferentes estratégias aumenta a chance de êxito técnico da prevenção é fundamental que essas estratégias sejam combinadas e façam sentido para quem as vai utilizar no dia a dia e assim aumentar o seu sucesso na prática. conta.

"O Guia tem como proposta compartilhar com usuários e pacientes todos os conhecimentos que temos sobre as formas de prevenção, sobre as práticas sexuais e de uso de drogas mais seguras e sobre aquelas de maior risco  para a aquisição de  infecção pelo HIV para que cada um, com nosso auxílio, e de posse de todas as informações possa avaliar seu grau de vulnerabilidade, tomar decisões e fazer escolhas quanto à melhor maneira de se prevenir da infecção".

Neste material existem informações básicas sobre as várias estratégias comportamentais e biomédicas para a prevenção da infecção pelo HIV e como utilizá-las na perspectiva da prevenção combinada e também referências de onde encontrar informações adicionais  sobre cada uma delas. Esperamos que esse material ajude profissionais de saúde que a incorporar na sua prática de aconselhamento as estratégias de prevenção combinada.


Nenhum comentário :

Postar um comentário