COMO É O MEU TRATAMENTO

"POSTAGEM  E IMAGENS ATUALIZADAS EM 24/08/2016"

Muitas pessoas me perguntam como é o meu tratamento. Então para você que tem essa curiosidade, a foto acima mostra exatamente os medicamentos e acessórios que utilizo no "meu" dia a dia desde 1997, quando passei a (con) viver com HIV. Segue abaixo mais detalhes.

1- Cloridrato de Metformina: Tomo 1 pílula pela manhã e outra a tarde/noite para tratamento e controle do DIABETES (Glicemia).

2- Aparelho para medir os níveis de açúcar (glicemia) no sangue: Faço as medições para controle do DIABETES, pela manhã (em jejum) e a tarde/noite.

3- Bezafibrato: Tomo 2 pílulas em dose única diária, para tratamento e controle dos TRIGLICÉRIDES.

4- Ácido Fólico: Tomo 1 pílula por dia para tratamento e controle de ANEMIA.

5- Reyataz (Atazanavir) - Antirretroviral: Tomo 2 pílulas 1 vez ao dia (a noite antes de dormir), para combater e controlar o HIV.

6- Biovir (Lamivudina + Zidovudina) - Antirretroviral: Tomo 1 pílula de 12 em 12 horas, também para combater e controlar o HIV.

7- Glimepirida: Tomo 1 pílula pela manhã e outra a tarde/noite, junto com o Cloridrato de Metformina, para tratamento e controle do DIABETES (Glicemia).

8- Osteofix: Tomo 1 pílula por dia para tratamento da deficiência de CÁLCIO E VITAMINA D.

São esses os medicamentos que tomo diariamente!

Eu usava uma medicação (Gabapentina) para tentar amenizar os efeitos da NEUROPATIA que se manifestou após alguns anos do diagnóstico/tratamento. Mas os resultados foram insignificantes. Dessa forma, "em conjunto" (eu e meu médico), decidimos procurar uma alternativa que possa efetivamente surtir efeitos relevantes que possam combate-la.

Tempos atrás também desenvolvi uma grave DEPRESSÃO. Por algum tempo fiz tratamento com medicações "acompanhado por um psiquiatra". Como não me adaptei aos medicamentos "decidi (informando o psiquiatra)" que interromperia o tratamento para tentar expulsar a depressão apenas com minha força de vontade, "e consegui". Mesmo não concordando, ele respeitou minha escolha/opção/decisão. Consegui livrar-me da depressão e controlar/evitar uma recaída sem utilização de remédios. "No meu caso", essa auto estratégia deu certo. Contudo não é uma atitude que deve ser seguida "sem o conhecimento e aval do seu médico".

Manifestei também o HERPES ZOSTER que atualmente, apesar das lesões estarem cicatrizadas, continua causando dores/ardências/queimações de vez em quando toleráveis e outras vezes intoleráveis. Porém e como não há muito o que possa ser feito, convivo e supero mais este incômodo.

Quanto a LIPODISTROFIA, por "opção minha", nunca solicitei ao meu médico que realizasse ou indicasse qualquer procedimento a esse respeito, porque "eu" não sinto nenhum incômodo e não vejo nenhuma importância "vital" neste (na minha visão pessoal/particular) insignificante probleminha que na realidade pode incomodar "os outros, e não este Caiçara".

Tive de realizar uma cirurgia de CATARATA causada pelo DIABETES. O problema foi solucionado, porém fui "obrigado" a contrair uma dívida para o resto da minha vida porque durante longos e torturantes 08 meses tentei realizar a cirurgia no "sistema público de saúde" e, claro, se eu não tivesse corrido atrás de "grana" para realizar o procedimento, "no particular", certamente teria perdido a visão. Inclusive porque até hoje não fui chamado pelo "serviço público", nem mesmo para a 1ª consulta.

Essa mesma tortura ocorreu quando tive de realizar cirurgias ODONTOLÓGICAS, pois estava com sérios e graves problemas dentários. Resumindo: Assim como ocorreu acima em relação a cirurgia de catarata, também fui "obrigado" a contrair outra dívida impagável para poder arcar com as despesas, "no particular". Caso contrário minha boca iria apodrecer aguardando o atendimento (que nunca foi agendado) pelo "serviço público".

"UMA OBSERVAÇÃO MUITO IMPORTANTE"

Infelizmente, eu não posso citar os nomes dos médicos e médicas que me atenderam para resolver os problemas de visão e odontológicos.

Sabe porque?

Por causa do maldito, injusto, cruel, ridículo, imbecil e desumano PRECONCEITO. Certamente esses profissionais e suas clínicas seriam alvo de discriminações caso eu os citasse. Mas, com toda certeza os mesmos sabem o respeito e a gratidão que este Caiçara têm por eles e elas.

Vale lembrar também que muitos profissionais(?) de saúde se recusaram a me atender usando as mais absurdas justificativas, INJUSTIFICÁVEIS, para explicar porque não poderiam realizar procedimentos em um paciente portador do HIV.

Bem, este é o dia a dia do "meu tratamento". Quanto aos antirretrovirais utilizados no combate/controle do HIV só houve uma mudança no ano de 2005, quando novamente e "sempre em conjunto" (eu e meu médico) substituímos o Stocrin (Efavirenz) pelo Reyataz (Atazanavir), mantendo a mesma forma de administração.

Ah sim, as outras ias, etes, etc, que corriqueiramente (de vez em quando) incomodam todos nós, "independente de viver com hiv ou não", são tratadas sem nenhuma diferença do tratamento de quem não vive com o vírus, "porém e sempre com o conhecimento e aval do meu médico infectologista".

Consultas e exames de monitoramento: Faço as consultas periódicas de monitoramento de 6 em 6 meses, "porque tudo está controlado e não há necessidade de intervalos mais curtos, no meu caso".

Quanto aos exames, como a minha CARGA VIRAL permanece há mais de 08 anos INDETECTÁVEL e o meu CD4  varia entre 600 e 800, "eu e meu médico" concordamos em realizar estes exames juntamente com todos os outros que também são necessários (HEMOGRAMA, PSA, VDRL, HEPATITES, URINA, FEZES, CORAÇÃO, ETC) no mesmo intervalo de tempo (de 6 em 6 meses). "Mas se houver necessidade, em virtude de alguma alteração importante nos exames ou na saúde, realizamos todos os procedimentos com mais frequência".

"OUTRA OBSERVAÇÃO TÃO IMPORTANTE QUANTO A 1ª"

Cada pessoa, cada organismo reage de forma distinta/diferente. Portanto o que funciona comigo pode não funcionar com você e vice versa. O que mostro aqui é apenas como faço "o meu tratamento pessoal". Portanto, não adianta você ficar comparando o seu tratamento com o meu ou de outras pessoas. "Sempre será o seu médico infectologista que terá a obrigação de avaliar o seu caso e definir qual o tratamento mais indicado "para o seu caso", porque só ele conhece o seu histórico completo de saúde e sabe o que será mais indicado "para você".

.
"Secraids/Santos - Onde faço meu tratamento"

Para ser atendido o paciente deve levar RG, CPF, CARTÃO SUS, comprovante de residência e testes de HIV-REAGENTES. As pessoas de outras cidades são acolhidas e encaminhadas para o SAE (Serviço de Atendimento Especializado) da cidade de origem.

Endereço: Rua Silva Jardim nº 94 - Bairro: Vila Mathias
Atendimento: De segunda a sexta-feira - Das 7 às 19 horas

Telefone: (13) 3229-8799 - E-mail: aids-secraids@santos.sp.gov.br




Por: Alexandre Gonçalves de Souza

23 comentários :

  1. Muito Bom tudo que ensina me ajudou muito

    ResponderExcluir
  2. Convivo a 3 anos com o HIV, no primeiro ano não fiz o tratamento, por medo, mas já tinha acompanhamento de infectologista, quando a carga viral passou dos 20.000 e meu cd4 baixou muito meu médico me avisou que muito problemas eu poderia ter, e aderi ao tratamento. Hoje passado dois anos de tratamento, tomo uma dose diária, um comprimido, o famoso 3x1, e não sinto mais nada, carga indetectável e cd 4 muito bom. Pratico esportes diariamente, o que pra mim me ajudou a ter mais confiança. Só meus pais e minha esposa sabem, pois o preconceito é grande, ouço direto na rodas de amigos sobre isso...Prefiro viver assim, me ajuda e esqueço que tenho. Parabens pela coragem de expor ao mundo!! Grande abraço

    ResponderExcluir
  3. Ver vc taõ determinado na luta contra o HIV me fez lutar mais pela vida. obrigado por tudo

    ResponderExcluir
  4. Olá Alexandre eu passei durante o tempo que descobri meu HIV , por diversas vezes esquecimentos de tomar a medicação corretamente nos horários certo, esquecimentos, parei até uns 2 meses de tomar a mesma por causa dos terriveis efeitos colaterais,voltei ao médico, pois passei um ano sem me consultar e o médico perguntou se eu queria morrer... e ver vc com toda essa garra e determinação mesmo com diabetes, HIV, me faz querer seguir em frente mesmo que com o psicológico afetado pelo medo da luta constante e preconceito que isso traz na nossa vida,espero que a cura seja alcançada e nos livraremos desse virus.
    obrigado por tudo,Mario

    ResponderExcluir
  5. Alexandre,

    Faço tratamento desde maio de 2015 e em novembro minha carga viral foi zerada.
    Porém de tempos em tempos sinto dores nos gânglios. Alguém tem esse mesmo sintoma?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, na próxima consulta com seu médico infectologista mostre-lhe as ínguas e fale sobre as dores para que o mesmo possa examiná-las e lhe dar as respostas e explicações corretas a respeito.

      Excluir
  6. Alexandre, boa noite.
    O tratamento de triglicerideos e diabetes é devido ao tratamento do HIV? Minha infectologista disse que os remédios atuais não causam mais diabetes e colesterol, e que apenas pode afetar os rins. No entanto, não estou preocupado com isso. Eu adquiri uma gastrite, e eu não sei se deve ser do remédio, deve ser apenas um medo de ser mesmo, pois leio muitos comentários de pessoas em tratamentos e até agora não li nada a respeito de alguém que tenha adquirido gastrite pelo 3x1. Mas de fato meu estômago dói mais nas primeiras horas de tomo o remédio, fico neurótico, com medo de ter que trocar o medicamento, ou agravar a gastrite e evoluir para uma úlcera. Apenas gostaria que compartilhasse essa experiência de remédio X estômago. Apenas por curiosidade dissolvi um comprimido em água para fazer uma solução aquosa e ser possível medir o pH da solução. Fiquei feliz com o resultado o pH deu levemente alcalino, que significa não ser ruim para o estômago, e muito menos nos deixar ácido, que é um ambiente favorável para desenvolvimento de qualquer câncer. Sou estudante de engenharia e apliquei alguns conhecimentos adquiridos no lab. de química para me tranquilizar haha.
    Enfim, Parabéns pelo Blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia. Sim, ambos têm como causa efeitos colaterais do "meu" tratamento de mais de 19 anos e também a própria infecção pelo vírus HIV. Quanto a "sua" gastrite eu sugiro que você converse a respeito com sua médica "pois sómente a mesma" pode e deve investigar as causas reais da manifestação do problema e, claro, prescrever o tratamento correto para solucioná-lo, inclusive há uma possibilidade da sua dôr no estômago estar relacionada com a gastrite, "mas apenas a sua médica" pode lhe dar essa resposta de maneira correta. Lembre-se que independente do conhecimento que nós "leigos" podemos adquirir, no caso de não nos "especializarmos" nestes conhecimentos, acabamos deduzindo, achando mas sem ter certeza. Esta certeza somente exames analisados pelos nosso médicos são capazes de dar. Como sempre insisto aqui no Blog, nas consultas com sua médica "converse mais, muito mais", e só pare de "perguntar" quando sentir que não tem mais dúvidas e, "também como insisto sempre não se influencie por comentários das outras pessoas...o seu próprio organismo/corpo mostra à você como é "a sua reação", é nesta reação que você deve se influenciar para "cobrar respostas da sua médica".

      Excluir
  7. Sabes se quem utiliza a terapia 3 em 1 tem que ser tomado todos os dias no mesmo horario ou basta tomar antes de dormir ?

    ResponderExcluir
  8. Faça essa pergunta para o seu médico infectologista pois só ele lhe dará a resposta correta!

    ResponderExcluir
  9. Alexandre quando descobri o HIV primeiro fórum ou site que encontrei foi o seu, e até hj passo para ver virtualmente vc, pois uma pessoa como vc não existe pela sua força, seja feliz cara pois eu tb tento. muita saúde para vc e felicidades pois doença não dá em poste, espero que um dia eu entre no seu site ou blog e veja vc feliz pela cura do hiv assim como eu ficarei, de tempos e tempos passo aqui pra te ver ... fique com DEUS. meu grande amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras e como diz uma grande amigo "vamu ki vamu viver a vida"...afinal podemos e queremos...abraços.

      Excluir
  10. Olá Alexandre. Você toma o AZT (Ziduvina)? O seu médico não acha que deve mudar? Ou é você que não quer mudar?

    Eu tomo o Raltegravir e o Truvada, mas comecei logo a tomar o Kivexa + Dolutegravir (Aqui em Portugal o Dolutegravir é tratamento de 1ª Escolha sempre), mas a mim deu uns tremendos efetios secundários kkkk
    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Olá. O único remédio que eu "troquei" nesses 20 anos de tratamento foi o efavirenz pelo atazanavir, pois os efeitos do efavirenz após alguns anos tornaram-se insuportáveis e até graves. Como citei no final da postagem, o tratamento é "pessoal", ou seja, cada pessoa, cada organismo reage de uma forma e o que para uma pessoa faz mais mal do que bem, para outra faz mais bem do que mal. Já tenho mais alguns remédios para incluir nessa lista e assim que tiver um tempo atualizo a foto e a postagem. Abraço.

    ResponderExcluir
  12. olá alexaNDRE UE SOUPORTADOR HA MAIS DE 20 ANOS.FAZ MAIS OU MENOS UM ANO QUE INICIEI O TRATAMENTO COMTENOFOVIR+LAMIVUDINA+EFAVIRENZ.MAS SINTO ALGUNS SINTOMAS QUE MINHA MEDICA DISSE QUE E NORMAL E AO DECORRER DO TEMO PASSA.MAS JA FAZ UM TEMPO QUE TENHO MEU SONO MUITO PERTURBADO E VIVO MUITO EXTRESSADO.SINTO QUE ESTOU ENTRANDO EM DEPRESSAO.ME DA uma dica ai o que posso fazer p melhorar.valleu um abraço...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rex. Como sua médica disse, efeitos colaterais "referentes ao início do tratamento" ocorrem normalmente e na maioria das pessoas cessam após o organismo se adaptar a medicação. Provavelmente seu sono está alterado por causa do EFAVIRENZ que causa este efeito em algumas pessoas, assim como pode causar depressão. Portanto, o que eu posso lhe dizer é que faça seu tratamento corretamente e sempre que estiver com sua médica, relate tudo o que está lhe incomodando pois é dessa forma, ou seja, "é você junto com sua médica" que devem trocar informações para que o seu tratamento seja um sucesso e sem maiores incômodos. Abraços.

      Excluir
  13. Olá, eu descobri meu diagnóstico em janeiro de 2015,já avançado. Alexandre,fiquei 3 meses em coma.Hoje meu cd4 está em 400,mas estou com uma depressão profunda, muito.Preciso de ajuda urgente! Não estou me alimentando, só choro. Faço tratamento de depressão, me ajude. Meu cd4 pode alterar? Obrigada

    ResponderExcluir
  14. Oi. Tente refletir sobre o que você já passou quando foi diagnosticada e veja quantas ajudas você recebeu. O tratamento a ajudou a sair do coma e lhe deu uma nova chace de seguir com sua vida. O seu corpo reagiu e lhe ajudou a também reagir. O seu organismo aceitou os remédios e lhe ajudou a recuperar suas defesas. A sua alma a ajudou a sobreviver ao coma e a sair dele. Seu médico a ajudou prescrevendo a medicação correta para ajudá-lo a lutar contra o vírus e vence-lo. Agora só falta você se ajudar para ficar livre da depressão, parar de chorar, se gostar, se orgulhar de si mesma, enxergar que sua luta pela vida foi e está sendo um sucesso, e finalmente voltar a VIVER A VIDA. E sabe por que isso é possível? Porque só depende de uma pessoa......VOCÊ!

    ResponderExcluir
  15. parabéns pela sua coragem e força Alexandre....

    ResponderExcluir
  16. parabéns por sua atitude Alexandre sucesso meu querido...admiro muito seu trabalho sua forca e garra.
    gostaria muito de acompanhar seu dia a dia me adiciona por favor no insta gram...
    (fabio_souza_ferreira).....abraços meu querido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Fabio. Eu não uso o instagram, mas se você quiser me adicione no Facebook: https://www.facebook.com/alexandre.goncalvesdesouza.10 , abraços.

      Excluir